De Futebol

Flamengo and Avia tied one all. Boo-Menago is really stinking the joint out. Globo Esportes: “Nem Conca, nem Vinícius Júnior, nem Marquinhos, nem Romulo. Quem se tornou o protagonista do empate entre Avaí e Flamengo em 1 a 1, em Florianópolis, foi o árbitro Paulo Vollkopf. No fim da partida, ele voltou atrás após marcar um pênalti para o time da casa e anulou o lance, o que gerou muita reclamação. A polêmica jogada ofuscou um duelo sem brilho técnico, que teve seu ápice nos gols de Romulo e Leandro Damião – este de bicicleta.

O lance aconteceu aos 34 minutos do segundo tempo. Em contra-ataque do Avaí, Diego Tavares invadiu a área, se enroscou com Everton e caiu. Vollkopf marcou, mas os jogadores do Flamengo reclamaram muito com ele e os auxiliares. Após dois minutos e 20 segundos de paralisação, o árbitro voltou atrás. A revolta foi do lado do Avaí – Marquinhos, já substituído, foi expulsão por reclamação. Segundo o comentarista de arbitragem Paulo César de Oliveira, não houve falta na jogada.

Antes da polêmica, o jogo não empolgou. A entrada de Vinícius surtiu pouco efeito no Flamengo. Além de o garoto ter sentido a exigência física da partida, não teve ajuda. Apesar da proposta de manter a posse de bola, o Rubro-Negro errou passes demais e esteve confuso no ataque.

O Avaí, depois de começar mais cauteloso, percebeu as limitações do adversário e se soltou no fim do primeiro tempo, mas pouco ameaçou o gol de Thiago – Juan e Capa finalizaram de longe, mas sem direção.

O Flamengo voltou para o segundo tempo com Mancuello no lugar de Willian Arão e até deu sinais de que melhoraria – Vinícius assustou em chute logo no primeiro minuto. Porém, a lentidão e falta de criatividade continuaram, e, mesmo com maior posse de bola, os cariocas não ameaçaram.

Atento, o Avaí aproveitou. Aos 10 minutos, em rápido contra-ataque, Willians lançou Romulo, que saiu na cara de Thiago e tocou com categoria para abrir o placar. A reação rubro-negra veio cinco minutos, quando Leandro Damião pegou sobra na área e, numa bela bicicleta, empatou. Depois disso, o jogo voltou ao normal, com muitos erros, até a polêmica do pênalti.

http://globoesporte.globo.com/futebol/brasileirao-serie-a/noticia/avai-e-flamengo-empatam-em-jogo-com-penalti-anulado-por-arbitro.ghtml

De Futebol

Flamengo and Vasco tied nil-nil in the semifinals of the Taca Rio. Vasco advances to the finals where they will face Botafgo in the finals.

Globo Esportes wrote: “No terreno das especulações, pode-se recorrer a fatores como o regulamento do Estadual, o fato de o jogo não ter qualquer transcendência no destino da competição ou até a vulgarização dos clássicos que se repetem semana após semana no Rio. É possível que cada uma destas questões, ou mesmo todas juntas, tenham contribuído para um jogo tão ruim quanto o 0 a 0 de Vasco x Flamengo na semifinal da Taça Rio. Segue adiante o Vasco, à espera de Botafogo ou Fluminense.

Nas circunstâncias, e talvez seja duro admitir, um público de 24 mil pessoas foi positivamente surpreendente. Clássicos ainda têm apelo, talvez até acima do campeonato. Não deveriam ser vulgarizados. Nenhum dos 24 mil presentes viveu uma noite memorável, longe disso. Ou melhor, uma delas vai recordar este Vasco x Flamengo. O menino que, após o jogo, no colo de Nenê, tirou uma foto com o ídolo.

A questão é que todas as justificativas do início deste texto têm mais a ver com aspectos anímicos do jogo, difíceis de medir. O que existe de concreto para se avaliar é a produção dos times. E ambos têm compromissos mais difíceis pela frente, que exigirão rendimento melhor. Provavelmente, não será com a postura conservadora dos 45 minutos finais do jogo, agarrando-se ao empate que o conduziu à decisão do segundo turno, que o Vasco conseguirá ser campeão carioca ou, mais adiante, jogar um bom Campeonato Brasileiro.

Da mesma forma que não será com o rendimento de ontem, em especial o da primeira etapa, embora também o da segunda, que o Flamengo conseguirá seguir na Libertadores. Já na quarta-feira, em jogo realmente decisivo contra o Atlético-PR, será preciso jogar melhor. E não só melhor do que ontem, mas melhor do que tem exibido.

O Vasco sabia o que queria no jogo. Desde o início, parecia claro que não se arriscaria. Tentaria marcar bem e apostar num contra-ataque. Uma arma que, conforme o passar do jogo, o time foi perdendo. Porque dos quatro homens de frente, três deles — Nenê, Andrezinho e Muriqui — não eram alternativa de velocidade. Muriqui, aliás, raramente dava sequência aos lances.

Já o Flamengo era o oposto. Ultimamente, era o time que queria a bola para trocar passes, mas tinha dificuldade para construir, numa aparente crise de ideias. Ontem, no primeiro tempo, era difícil saber ao certo a que se propunha. Não trocava passes, tampouco era incisivo, vertical. Tinha mais a bola, mas apresentava raras soluções para chegar perto do gol. O que não tem se alterado neste Flamengo é uma boa organização defensiva.

Enquanto o Flamengo tinha dificuldade desde a saída de bola para construir e o Vasco ficava sem válvula de escape para o contragolpe, o primeiro tempo vivia de bolas longas ou a espera por eventuais lampejos. Aconteceu muito pouca coisa.

Já que decidira jogar este clássico com sua equipe principal, com o mesmo esquema tático e sem grandes experiências para o futuro, cabia ao Flamengo tentar ser mais agressivo no segundo tempo. O empate era do Vasco. Guerrero já arriscara um chute defendido por Martín Silva quando Zé Ricardo trocou Mancuello, outra vez em dificuldade como um meia pela direita, por Berrío, que tem exibido mais força e velocidade, do que lances brilhantes.

A a mexida desequilibrou um lado do campo. Andrezinho cansara e não recompunha mais. Num lance de Rodinei e outro de Willian Arão, Martín Silva foi obrigado a fazer duas defesas. Ao menos, havia um jogo.

Mílton Mendes tentou responder com Kelvin para dar vitalidade ao seu lado esquerdo. Com um ajuste na marcação vascaína, Berrío perdeu espaço para correr e foi neutralizado. Na parada técnica do segundo tempo, pareceu ter ficado clara a ordem para que o Vasco marcasse mais atrás e jogasse a favor do relógio. Nenê terminaria quase como centroavante, tentando segurar a bola, após a entrada de Wagner no lugar de Muriqui. O Flamengo parou de ser perigoso. Zé Ricardo fez de Márcio Araújo um lateral-direito após a lesão de Rodinei, lançando Ronaldo para iniciar as jogadas. E terminou o jogo com dois centroavantes, com Damião ao lado de Guerrero. Foi o peruano que teve a última chance, após passe de peito de Ronaldo. Há um dever de casa para os dois treinadores.

http://oglobo.globo.com/esportes/vasco-segura-empate-em-0-0-com-flamengo-vai-final-da-taca-rio-21183415#ixzz4dnRmxR51

De Futebol

vitinho-durante-internacional-x-cruzeiro-pela-serie-a-do-campeonato-brasileiro-1480277800158_615x300

Palmerias defeated Chapecoense 1-0 to win their first title in 22 years. Verdao has 77 points with only one match left in the season. Second sits Boo-Mengao with 70 points. Santos is third with 68 points.

UOL: A longa e interminável espera acabou. Depois de 22 anos de jejum, o palmeirense repete o grito de campeão no Campeonato Brasileiro. Assim, uma geração inteira de torcedores, enfim, sente o prazer de ver o clube alcançar a glória na competição mais importante do futebol nacional. A taça virou realidade neste domingo, com a vitória sobre a Chapecoense em casa por 1 a 0, com gol de Fabiano ainda no primeiro tempo.

Desta maneira, os líderes nem precisaram prestar atenção no jogo do rival Santos no Rio de Janeiro. Único adversário que podia impedir o título antecipado do Palmeiras, o rival paulista sofreu gol logo no começo da partida e nem sequer ameaçou a festa alviverde. O campeão, que matematicamente precisava apenas de um empate, somou mais uma vitória e chegou aos 77 pontos – absoluto e agora inalcançável na tabela de classificação.

Não poderia ser fácil. Em uma temporada difícil, com vexames no Paulista – a goleada sofrida pelo Água Santa ainda arrepia os mais pessimistas –, o Palmeiras se reabilitou como um verdadeiro campeão. Cuca consolidou uma base no Brasileiro e tornou “cascudo” um jovem elenco. Mesmo nas derrotas, o agora campeão não se perdia.

Nem mesmo o fantasma de 2009, quando o título da Série A escapou na reta final, abalou o elenco. A ansiedade, tão abordada nas últimas semanas, ficou para o último plano. Duas décadas depois, o Palmeiras volta a ser vencedor e recupera a reputação de “maior campeão nacional”.

O título passa por um trabalho em conjunto. Cuca profetizou antes do início do Brasileiro qual seria o destino do clube na Série A. As palavras inspiraram o grupo, que desde o início da competição figurou nas primeiras colocações, um concorrente seguro.

A regularidade marcou este Palmeiras de Jaílson, Dudu, Gabriel Jesus e companhia. Mesmo quando não encantou e sofreu, o resultado veio. Torna-se inquestionável, portanto, qualquer deliberação em relação ao título. O Brasileiro de 2016 está nas mãos daqueles que mais correram, mais procuraram e mais mereceram.

A vitória deste domingo contra a Chapecoense consolidou o nono título na elite do futebol do país, o 13º a nível nacional – além dos nove Brasileiros, o Palmeiras carrega em sua história mais três Copas do Brasil e a Copa dos Campeões de 2000. Ninguém venceu tanto em ambiente doméstico quanto o “Alviverde imponente”.

http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/brasileiro/serie-a/ultimas-noticias/2016/11/27/palmeiras-bate-a-chape-e-campeao-brasileiro-e-acaba-com-jejum-de-22-anos.htm

De Futebol

guerrero-abre-o-placar-para-o-flamengo-contra-o-santos-1480276311074_615x300

Flamengo defeated Santos 2-0 to jump into second place with 70 points. Pexie is third with 68.

UOL: O Flamengo só depende de suas forças para ficar com o vice-campeonato brasileiro de 2016. O time carioca levou a melhor sobre o Santos na tarde deste domingo, no Maracanã, venceu o duelo da 37ª rodada da Série A por 2 a 0 com gols de Guerrero e Diego e agora só precisa de uma vitória para garantir o segundo lugar da competição nacional.

A vitória leva o Flamengo a 70 pontos, contra 68 do Santos, que cai para terceiro. Quem ficar com o vice-campeonato terá em seus cofres R$ 3,4 milhões a mais na conta, já que o segundo colocado leva R$ 10,7 milhões, enquanto o terceiro fatura R$ 7,3 milhões.

Na última rodada, porém, o Santos, teoricamente, terá vida mais fácil que a do Flamengo. Enquanto o time da Vila Belmiro recebe o já rebaixado América-MG, o Flamengo visita o Atlético-PR, melhor mandante do Brasileiro e que ainda briga por Libertadores, na Arena da Baixada. Os jogos, assim como todos da 38ª rodada, acontecem às 17h do próximo domingo.

Um gol de Guerrero – aproveitando saída errada do Santos –  logo aos 4min deixou não só o Maracanã em festa, mas principalmente o Allianz Parque, já que o gol do atacante rubro-negro deixava o Palmeiras ainda mais perto do título brasileiro. Para evitar a taça palmeirense, o Santos precisava então de pelo menos dois gols, que não vieram. A festa ficou completa, nos dois estádios, com o golaço de Diego já aos 39min do segundo tempo.

Flamengo melhor. Santos tem a bola, mas não produz

Apesar de ficar com a bola a maior parte do jogo, o Santos pouco produziu. O Flamengo, por sua vez, desde o apito inicial foi mais perigoso, especialmente aproveitando a velocidade nos contra-ataques. Dorival Júnior tentou deixar o time mais criativo, colocando Léo Cittadini e depois o prata da casa Arthur Gomes. Mas não adiantou.

Diego atuou pela primeira vez contra o Santos desde que deixou o clube da Vila Belmiro, em 2004, para se transferir para o Porto, de Portugal. E não decepcionou. O meia chamou o jogo, apareceu bem na maioria dos ataques, foi alvo de várias faltas santistas e, já no fim, marcou um golaço.

Quem foi mal: Vitor Bueno

Desde que se recuperou de uma lesão muscular na coxa, Vitor Bueno ainda não conseguiu reencontrar o bom futebol. Discreto, acabou substituído no início do segundo tempo.

rever-abraca-diego-apos-meia-marcar-para-o-flamengo-diante-do-santos-1480281331405_615x300

Rafael Vaz chora após ser substituído

O zagueiro flamenguista sofreu uma falta de Ricardo Oliveira logo no começo do segundo tempo, caiu de mau jeito e precisou ser substituído com dores no ombro. Ele recebeu tratamento imediato no banco de reservas, foi imobilizado e seguiu para o vestiário chorando.

Garantido no G-3

Com a vitória do Flamengo e a derrota do Atlético-MG para o São Paulo, o time carioca se garantiu ao menos no G-3 do Campeonato Brasileiro. Com isso, entrará na próxima Libertadores, assim como o Santos, já na fase de grupos.

Primeira vitória no Maracanã em 2016

Depois de três tropeços consecutivos dentro do Maracanã (empates contra Corinthians, Botafogo e Coritiba), o Flamengo enfim voltou a vencer em seu estádio.

Juiz ‘caseiro’ segue invicto para os mandantes

Ainda antes da partida, o Santos se mostrou preocupado com a escalação do árbitro Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO) para a partida deste domingo. Isso porque, até então, nenhum time visitante havia vencido em jogos apitados por ele: eram cinco vitórias dos anfitriões e dois empates. E a história se repetiu no Maracanã, com mais um triunfo do time mandante.

http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/brasileiro/serie-a/ultimas-noticias/2016/11/27/flamengo-x-santos.htm