De Futebol

Flamengo and Fluminense tied two all. Globo Esportes:” Com um gol de Trauco aos 49 minutos do segundo tempo, o Flamengo empatou por 2 a 2 com o Flamengo, neste domingo, no Maracanã, e deixou os tricolores com um gosto amargo depois de estar à frente do placar por duas vezes. O resultado deixa o Flu na nona posição com 11 pontos. Se vencesse, entraria na zona de classificação da Libertadores. O Fla está uma posição atrás, em 10°, também com 11 pontos. Wendel, Dourado, Diego e Traucos fizeram os gols da partida.

Na próxima quarta-feira, às 21h45, o Fluminense vai até a Ressacada, em Florianópolis, para enfrentar o Avaí. Na quinta-feira, às 21h, o Flamengo recebe a Chapecoense na Ilha do Urubu.

O Flamengo teve mais a iniciativa das ações e encontrava espaço, especialmente pelo lado direito da defesa do Flu, para criar as jogadas. Mas faltava o último passe. Vinícius Junior e Marcio Araújo tentaram, mas não finalizaram bem. A aposta tricolor era os contra-ataques em velocidade, e Wendel desde o início se apresentou como que mais ameaçava o Fla. Na primeira chance que teve, o volante aproveitou uma saída de bola errada do adversário, tabelou com Scarpa e chutou, mas Thiago fez boa defesa. Na segunda oportunidade dele não perdoou. Aos 36 minutos, a zaga do Fla parou, Scarpa deu ótimo passe e Wendel, de cara para o gol, pegou o próprio rebote de uma finalização na trave e mandou para a rede: 1 a 0.

Com Guerrero bem marcado e nervoso – fez seis faltas na primeira etapa -, o Fla tinha dificuldades para criar chances claras. Os rubro-negros reclamaram muito em um lance que Rodinei entrou na área e teve o braço puxado por Scarpa, mas o árbitro mandou o lance seguir.

O Fla voltou do vestiário com Berrío e Arão nos lugares de Vinicius Junior e Marcio Araújo, uma formação mais ofensiva. A pressão surtiu efeito, e aos nove minutos o Rubro-Negro empatou. Após lance confuso na área, Everton chutou, a bola voltou para Guerrero, que também finalizou. No rebote, Diego chutou rasteiro e marcou: 1 a 1. Os tricolores reclamaram que Everton estava impedido no momento do primeiro chute.

Os rubro-negros se animaram e não baixaram o ritmo. Everton pegou um rebote de Julio Cesar e, sem goleiro, mas também sem ângulo, não conseguiu fazer o gol. Berrío em linda jogada individual ficou de cara com o goleiro tricolor, mas perdeu a oportunidade clara. O Flu manteve a estratégia de explorar os contra-ataques e se deu bem mais uma vez a partir de um lançamento de Scarpa. Richarlison recebeu na frente e foi derrubado por Juan dentro da área. Henrique Dourado cobrou no canto direito do goleiro Thiago e colocou o time novamente à frente no placar: 2 a 1. Foi o oitavo do artilheiro isolado do Brasileiro.

O Fla fez nova pressão nos minutos finais, já com Conca em campo, e conseguiu impedir a derrota aos 49 minutos do segundo tempo. Trauco mandou uma bomba no canto esquerdo do goleiro Julio Cesar e decretou o empate no Fla-Flu: 2 a 2.

http://globoesporte.globo.com/futebol/brasileirao-serie-a/noticia/com-gol-de-trauco-no-ultimo-minuto-fla-empata-com-flu-no-maraca-2-a-2.ghtml

De Futebol

Flamengo finally stopped the bleeding with a 2-0 win over Ponte Preta. Globo Esportes O Campeonato Brasileiro tem uma peculiaridade. As atenções se dividem entre o time de hoje e o que está por vir. Há sempre um reforço por estrear. No imaginário do torcedor, há sempre um time que ainda não existe, mas que pode vir a ser melhor do que aquele que se vê em campo. O Flamengo tem suas apostas: Conca estreou nesta quarta-feira, ainda há Éverton Ribeiro e Rhodolfo. Só que, mais do que reforços, o rubro-negro tinha um estádio por estrear. E ter casa sempre ajuda.

Optou por uma no estilo alçapão, o que acredita-se ter lá a sua serventia. Na Ilha do Urubu, venceu a Ponte Preta por 2 a 0 e resolveu a maior das urgências do momento: ganhar, ainda mais no jogo em que punha a prova sua solução para encerrar a recente sina de time itinerante. Mas também ficou claro ser necessário algo além do alçapão. Para ser consistente, a qualidade de jogo do Flamengo ainda precisa melhorar. Talvez o alívio da vitória crie as condições para o próximo passo.

Sob o ponto de vista das chances concedidas a um rival tímido, devotado à defesa e a esporádicos avanços, o Flamengo fez uma partida segura. Na construção de jogadas, houve longos momentos de pouca imaginação.

Enquanto Vinícius Júnior fez a diferença, o que se sentiu notadamente nos 20 minutos iniciais, o futebol do Flamengo teve algo distinto em relação aos últimos jogos. Depois, tornou-se previsível, com um domínio da bola que, invariavelmente, acabava num cruzamento feito da intermediária, facilitando a defesa.

Sobre Vinícius Júnior, talvez o jogo indique que o déficit que hoje o separa dos jogadores já mais “adultos” seja físico. Porque a forma como deslizou pelo campo no início do jogo chamou atenção. Iluminou o jogo do Flamengo, por vezes na lateral da área, por vezes mais pelo centro, abrindo a defesa da Ponte Preta. Em três cruzamentos dele, originados de lances de virtude individual do jovem, Leandro Damião teve ótimas chances. No último, Aranha evitou o gol.

Aos poucos, o passar dos minutos fez Vinícius perder precisão na execução das jogadas e deixar de levar vantagem no drible. Como se tivesse perdido o frescor do início do jogo. Com a inspiração de sua promessa, foi-se também a inventividade do Flamengo.

Houve momentos em que a Ponte Prata passou a ter a bola e enervar o rubro-negro. A saída de bola com Cuéllar no lugar de Willian Arão não criou mecanismos de fazer o time chegar com qualidade à frente. Márcio Araújo andou assumindo funções mais ofensivas, sem sucesso. Diego chegou a recuar para iniciar os lances, afastando-se da zona ofensiva. A solução só viria num córner, nos acréscimos da primeira etapa, quando Réver cabeceou para a rede.

O gol foi um achado porque clareou o segundo tempo, oferecendo espaços. O Flamengo não chegou a ser uma avalanche de contragolpes, mas como marcava bem e anulava a Ponte Preta, jamais indicou ter a vitória em risco. E ainda permitiu o primeiro passe para gol de Vinícius Júnior, aos 14 minutos. Após uma bola longa que Damião ganhou pelo alto, o menino cruzou na cabeça do centroavante, que fez o 2 a 0.

Alívio na Ilha do Urubu, o que permitiu a Zé Ricardo até dar minutos a Conca: os primeiros 11 minutos do argentino. Não era o Conca habitual, nem poderia. O quanto vai progredir, o futuro dirá. O que será o Flamengo na Ilha, o Flamengo de Éverton Ribeiro, o futuro também dirá. No futebol brasileiro, o futuro é cheio de interrogações.

https://oglobo.globo.com/esportes/flamengo-resolve-urgencia-com-vitoria-na-ilha-mas-ve-questoes-no-futuro-21480883#ixzz4k4UTU6UY

De Futebol

The quarterfinals of the Copa do Brasil are set. Globo Esportes;” Sorteio realizado nesta segunda-feira, na sede da CBF, decidiu os confrontos das quartas de final da Copa do Brasil, que acontece entre 28 de junho e 27 de julho. Flamengo e Botafogo, os cariocas remanescentes na competição, enfrentam Santos e Atlético-MG, respectivamente.

Os outros dois confrontos sorteados nas quartas de final foram Palmeiras x Cruzeiro e Atlético-PR x Grêmio. A ordem dos mandos de campo foi sorteada mais tarde, ao meio-dia desta segunda-feira.

O Flamengo fará o primeiro jogo contra o Santos em casa, e decidirá o mata-mata longe do Rio. Já o Botafogo viaja a Belo Horizonte para o primeiro jogo contra o Atlético-MG e faz a segunda partida no Rio.

Entre os participantes da Copa do Brasil, somente Cruzeiro e Flamengo não terão simultaneamente a disputa das oitavas de final da Taça Libertadores. O time mineiro não se classificou para a competição neste ano, enquanto o rubro-negro carioca foi eliminado na fase de grupos. As oitavas da Libertadores acontecem entre 4 de julho e 10 de agosto.

Veja os confrontos das quartas de final da Copa do Brasil:

*decidem em casa

– Atlético-MG x Botafogo*

– Atlético-PR* x Grêmio

– Flamengo x Santos*

– Palmeiras x Cruzeiro*

https://oglobo.globo.com/esportes/sorteio-da-copa-do-brasil-veja-quais-sao-os-jogos-das-quartas-de-final-21436637#ixzz4jLbZf1tO

De Futebol

Flamengo lost to Sport 2-0. Globo Esportes:” O ano do Flamengo se transformou após a queda na Libertadores. Se antes não chegara a ser brilhante, após a eliminação perdeu-se qualquer sensação de evolução e, a cada adversidade, torna-se mais comum ver o time se desorientar. Na noite desta quarta, na assustadora exibição contra o Sport, na derrota por 2 a 0, em Recife, o time foi a imagem do absoluto desencontro, em especial no segundo tempo.

Há conceitos de futebol dos quais é difícil fugir. Construir um time que pretende ter a bola, tomar a iniciativa dos jogos e trocar passes desde a defesa, exige, no mundo moderno, algumas características. O Flamengo que acrescenta qualidade na parte ofensiva de seu elenco, inicia o jogo de forma defeituosa. Isso inclui laterais, defensores, volantes e o goleiro Alex Muralha, longe de ser um especialista no jogo com os pés. Ontem, Márcio Araújo errou uma comprometedora sequência de passes. No início do segundo tempo, em dez minutos, dois lances foram a imagem do problema e encaminharam a definição do jogo.

Pará recuou uma bola traiçoeira que Muralha, com a mão, concedeu ao Sport um tiro indireto na área. Não foi gol. Mas logo em seguida, o goleiro errou um passe e deu a bola nos pés de Osvaldo, que abriu o placar.

Mas não foi apenas isso. A entrada de Diego como meia mais centralizado e a presença de Éderson pela direita tornava a escalação usada por Zé Ricardo uma espécie de molde do que se espera ver em campo após a estreia de Éverton Ribeiro. Espera-se que o novo reforço ocupe o lado direito do campo. Houve problemas.

A começar pela recomposição naquele setor. Pará se viu diante de dois adversários algumas vezes. Por ali, Osvaldo e Thallyson combinaram até que Rithely perdeu a melhor oportunidade do Sport.

Mas a construção de jogo do Flamengo era ruim também. Teve raras ocasiões, apenas uma em lance trabalhado, quando Renê e Damião tabelaram até o atacante chutar com perigo. A outra chance, também de Damião, foi em bola longa de Pará para Arão fazer o cruzamento. No mais, o Flamengo sofreu sempre que foi pressionado em sua saída de bola, recurso usado em boa parte do primeiro tempo por Vanderlei Luxemburgo.

No segundo tempo, após se ver em desvantagem, o Flamengo perdeu qualquer estrutura com uma rapidez assustadora. Diego sentia nitidamente o lado físico. Primeiro, Zé Ricardo sacou Éderson e colocou Vinícius Júnior, que errou além da conta até aparecer em duas chances de gol, já nos acréscimos e com a partida definida.

Com dois centroavantes após a entrada de Vizeu, o Flamengo foi uma sucessão de bolas longas e cruzamentos. Do outro lado do campo, Thomas, ex-rubro-negro, fez o segundo.

https://oglobo.globo.com/esportes/flamengo-perde-para-sport-na-ilha-do-retiro-21449880#ixzz4jVp3rB1b

De Futebol

Flamengo and Botafogo tied nil-nil.

Globo Esportes-“Num jogo muito pegado, o Flamengo foi melhor que o Botafogo, mas o clássico pela quarta rodada do Brasileiro terminou sem gols em Volta Redonda. A melhor chance do jogo aconteceu aos 38 minutos do segundo tempo, quando o jovem Vinícius Júnior, de 16 anos, acertou o travessão de Gatito. O alvinegro teve uma grande chance com Roger, mas, o atacante, cara a cara com o goleiro, chutou para fora. O jogo no Raulino de Oliveira teve apenas 8.877 torcedores pagantes (10.577 presentes).

´O Botafogo, que, na véspera, teve confirmadas as ausências de Lindoso e Camilo, entrou com Aírton e Matheus Fernandes, com João Paulo na armação. O time começou bem, pressionando nos primeiros dez minutos, mas não demorou para o rubro-negro equilibrar as ações. Do lado rubro-negro, Zé Ricardo entrou com uma defesa lenta, com Réver e Juan lado a lado, mas, como o Botafogo tinha Roger no ataque, a velocidade parecia não ser problema. Pior era depender de Willian Arão na armação. Com dificuldade de assumir a responsabilidade, Éverton e Guerrero pouco puderam fazer.

Talvez pela alta temperatura, o primeiro tempo foi de muito estudo e pouco perigo perto da área. Com azar, o Botafogo perdeu dois jogadores importantes por lesões que pareceram sérias. Aos 34, Victor Luís deixou o campo chorando com dores no joelho esquerdo. Pior foi aos 45. Aírton se desesperou no gramado ao machucar o pé direito.

volta para o segundo tempo trouxe mais emoções. Aos 9, Trauco lançou Guerrero, que ganhou no corpo de Igor Rabello e ficou cara a cara com o goleiro. Gatito fez uma grande defesa à queima roupa. A bola ainda recocheteou em Guerrero e saiu perigosamente por cima do gol. Aos 14, após o peruano roubar a bola de Carli, ele chegava sozinho na área, mas, esperto, Bruno Silva conseguiu evitar a finalização.

O Botafogo respondeu aos 18. Em contra-ataque rápido, o time chegou rapidamente à área adversária e tocou no meio. Pimpão e Trauco furaram e a bola ficou com Roger, completamente sozinho, diante de Alex Muralha. Ele teve muita calma no lance, mas faltou precisão. O chute à direita do gol de Muralha irritou a torcida.

Aos 15, Zé Ricardo fez sua primeira mudança. Saiu Cuéllar para a entrada de Diego, que tinha o nome gritado pela torcida desde o primeiro tempo. A torcida pedia também a entrada de Vinícius Júnior, que entrou aos 21 para a saída de Éderson. O time melhorou e passou a pressionar o Botafogo em seu campo de defesa. Para desafogar, Jair Ventura respondeu com um mudança para dar gás à equipe. Aos 32, Joel entrou no lugar de Pimpão.

A grande chance do rubro-negro aconteceu justamente com o jovem de 18 anos, que, veloz, infernizava Arnaldo e Carli. Aos 38, ele receber de Éverton e mostrou outra característica. Vinicius Júnior chutou colocado e a bola bateu no travessão. Em busca da vitótia, Zé Ricardo colocou o time definitivamente ao ataque na sequência, quando tirou Arão para colocar Damião. Foi a última grande chance de gol da partida.

https://oglobo.globo.com/esportes/flamengo-botafogo-nao-saem-do-0-0-em-volta-redonda-21434642#ixzz4j40JdyQQ

De Futebol

Flamengo tied Atletico-PR one all. Boo Mengao dropped to ninth place in the table.

Globo Esportes: “O Flamengo até saiu na frente, mas o retrospecto ruim na Arena da Baixada — e a atuação insegura do time, especialmente no primeiro tempo — acabaram falando mais alto e o rubro-negro carioca ficou no 1 a 1 com o Atlético-PR neste domingo.

O time carioca era pressionado no primeiro tempo quando Mancuello abriu o placar aos 24 minutos, completando de cabeça um cruzamento de Pará. Mesmo com três volantes no meio-campo — o técnico Zé Ricardo lançou Cuéllar ao lado de Márcio Araújo e Willian Arão –, o Flamengo tinha dificuldades para conter o ataque do Atlético. Grafite e Nikão chegaram a acertar a trave de Alex Muralha no primeiro tempo.

O próprio Grafite teve uma chance cara a cara com o goleiro do Flamengo antes do intervalo, mas Muralha mostrou reflexo para impedir o gol de empate.

De tanto pressionar, no entanto, o Atlético-PR acabou chegando ao 1 a 1 depois do intervalo. Aos 10 do segundo tempo, em escanteio levantado na área do Flamengo, Thiago Heleno subiu mais do que Rafael Vaz na segunda trave e cabeceou sem chances para Muralha.

Por ironia do destino, o gol de empate saiu quando o Flamengo havia melhorado depois de um primeiro tempo apático. Aos nove, um minuto antes do gol de Thiago Heleno, Guerrero havia exigido um milagre do goleiro Weverton em cabeceio quase na pequena área.

Zé Ricardo lançou os jovens Vinícius Jr. e Lucas Paquetá na metade do segundo tempo, mas sem abrir mão da formação com três volantes. No fim das contas, o Atlético esteve mais perto do segundo gol do que o Flamengo, mas Alex Muralha mostrou estar em tarde inspirada e fez mais uma defesa importante aos 31, em lance cara a cara com Douglas Coutinho.

No fim, Rodinei entrou para dar uma opção perigosa ao Flamengo pelo lado direito, mas havia pouco tempo para causar grande impacto. Com o resultado, o Flamengo segue um longo jejum de vitórias na Arena da Baixada. A última — e única — vitória do rubro-negro carioca no estádio do Atlético-PR em Campeonatos Brasileiros foi em abril de 1974.

https://oglobo.globo.com/esportes/flamengo-sai-na-frente-mas-fica-no-empate-com-atletico-pr-em-curitiba-21405588#ixzz4iT8CXsmd

De Futebol

Flamengo defeated Atletico-GO 3-0. Globo Esportes: “O Flamengo passou por uma bem-sucedida sessão de análise na noite deste sábado, quando derrotou o Atlético-GO por 3 a 0, no Serra Dourada. O adversário foi o menor dos problemas, assim como o campo encharcado: a incógnita era se o time, abalado pela eliminação da Copa Libertadores, no meio da semana, reencontraria seu futebol e sua alma para o restante do ano. Demorou um pouco, mas, após um primeiro tempo travado, a equipe fez uma bela segunda etapa e saiu com a impressão de estar pronta para seguir em frente.

Sem Guerrero, poupado, o Fla foi a campo com Leandro Damião no comando do ataque. Em seu primeiro jogo de Série A em casa em quatro anos, o time goiano apresentava modificações em relação à desastrosa estreia, quando foi goleado por 4 a 1 pelo Coritiba. Recuada, a equipe do treinador Marcelo Cabo não se arriscava muito: a principal jogada era acionar o gordinho Walter, para que ele encontrasse uma solução ofensiva. Até os 20 minutos, o lance mais impressionante foi o violento choque de cabeças entre Ederson e o zagueiro Ricardo Silva. Os dois sofreram cortes na cabeça, e o jogo ficou cerca de cinco minutos parado.

Na segunda metade do primeiro tempo, o Atlético, apesar da disposição na marcação, afrouxou um pouco a retranca inicial e tentou ir ao ataque com mais gente, abrindo espaço para a equipe carioca. Não foram criadas exatamente chances de gol, mas a bola passou a circular mais entre as duas intermediárias, dando algum alento à torcida presente ao Serra Dourada. Aos 40 minutos, a maior qualidade do Flamengo deu resultado: depois de cruzamento da direita de Gabriel, a bola resvalou na zaga e sobrou para Trauco, que cruzou para a pequena área. Acossado por Leandro Damião, o goleiro Felipe deu rebote, e Éverton fez 1 a 0 para o time carioca.

— Vem todo mundo! — comandou Willian Arão na comemoração, em que os jogadores, demonstrando união (espontaneamente ou não), se aglomeraram em volta do técnico Zé Ricardo.

O Flamengo voltou para o segundo tempo com Rodinei na ponta direita, no lugar do lesionado Éverton, e Gabriel pela esquerda. Em vantagem, o time de Zé Ricardo procurava ficar com a bola e atacar sem precipitação. Do outro lado, o Atlético-GO ensaiava pressionar, mas faltavam qualidade e confiança. À vontade (e empurrado pela animada torcida), o time carioca tocou a bola até encontrar o segundo gol: Trauco cruzou de longe para Arão, com categoria, ajeitar com o peito para Damião, de frente, vencer Felipe e fazer 2 a 0.

Mesmo com as vaias a Matheus Sávio — marcado pela falha no fatídico jogo de quarta-feira, contra o San Lorenzo —, o Flamengo já mostrava ter recuperado a alegria de jogar quando veio o terceiro gol. Em uma jogada com a participação de quase todo o time, o goleiro Felipe fez milagre sob um bombardeio, até que Sávio chutou de longe e, no rebote, o iluminado Rodinei fez mais um.

A última parte do jogo serviu para o Flamengo se divertir: com Vinicius Júnior em campo, o time tocou a bola no ataque, dando mais sustos na já apavorada defesa adversária. O melhor de tudo é que o próximo adversário é o mesmo Atlético-GO, na quarta-feira, pela Copa do Brasil. Santo remédio.

https://oglobo.globo.com/esportes/flamengo-derrota-atletico-go-em-goiania-21371134#ixzz4hkakmxAU

De Futebol

Flamengo opened up the Campeonato Braislerio 2017 with one all draw against Atletico-MG last Saturday night.

Globo Esportes; “A saudade do Brasileiro acabou quando Flamengo e Atlético-MG iniciaram o primeiro jogo da edição deste ano. E foi uma partida entre iguais. Ambos foram campeões estaduais, fato celebrado em campo com a troca de faixas, e fizeram os respectivos artilheiros dessas competições (Fred e Guerrero). São times com propostas de jogo semelhantes. Prova do equilíbrio no Maracanã foi o placar (1 a 1), com um gol em cada tempo e 90 minutos de protesto contra mudanças na Lei Pelé.

A esperada troca das faixas de campeões estaduais vestiu as equipes com um espírito combativo desde o início. E o engajamento marcou este clássico histórico. Além da ofensividade de ambos os times, Flamengo e Atlético-MG jogaram para frente no campo das ideias ao usarem em seus braços faixas pretas em protesto a projetos em trâmite no Congresso e que trariam prejuízo à categoria ao alterarem a Lei Pelé. O ato foi organizado pela Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) e abrangerá todos os jogos da primeira rodada.

Sem abrir mão do toque de bola e abertura de jogada pelas pontas, o Flamengo chegou ao gol relativamente cedo na partida, aos 23, marca na qual ambos chegaram com muito volume, mas sem criar grandes chances. E até mesmo o gol foi meio sem querer, nascido de um cruzamento de Matheus Sávio para Guerrero que acabou entrando direto.

Ao deixar de concretizar as poucas chances que teve (sobretudo com o velocista Berrío e com Guerrero) de ir para o intervalo com mais um gol de vantagem, o Flamengo corria o risco de ver um Atlético-MG mais incisivo logo de início no segundo tempo. E foi o que aconteceu.

A entrada de Cazares não foi apenas uma troca. Roger injetou uma objetividade que faltou no primeiro tempo.ç Logo em sua primeira jogada, o colombiano deu uma caneta em Pará e ia marcando, mas abola foi cortada em cima da linha por Rafael Vaz.

Do outro lado, Victor evitou o gol Éverton, na rápida resposta rubro-negra ao ataque do Atlético-MG.

Outra grande chance do visitante parou em cima da linha. Em novo embate com Cazares, de Rafael Vaz tirou embaixo do travessão o que seria o gol de empate do Atlético-MG. Sufocada pela pressão, a torcida do Flamengo, em bom número, prendia a respiração, enquanto os atleticanos cantavam.

Uma bola perdida no meio-campo e uma furada de Réver na intermediária trouxeram o perigo para a área do Flamengo. Fred recebeu e percebeu a falta de ângulo. Tirou Rafael Vaz da jogada e tocou para o meio, de onde Elias chutou no ângulo para empatar o jogo.

A torcida rubro-negra ia à loucura nas arquibancadas, mas não era pela bola que quase entrava no gol do Atlético-MG e que foi afastada em cima da linha. O motivo era a chamada de Zé Ricardo por Vinícius Júnior. Pela primeira vez em uma partida profissional, entrou em campo e na história do clube. Aos 16 anos, estreou com idade abaixo até da de Zico, que em 1971 tinha 18.

— É um reconhecimento da torcida. Quero agradecer ao Zé Ricardo e toda a comissão — disse ele, que pediu para trocar de camisa com Robinho, seu ídolo.

No fim, para a torcida do Flamengo, foi apenas um breve reencontro. Pelo Brasileiro, o time só voltará ao Rio no clássico com o Botafogo, em junho, marcado para a Arena da Ilha. Na próxima quarta-feira, o time jogará pela vaga nas oitavas da Libertadores contra o San Lorenzo, no Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires.

https://oglobo.globo.com/esportes/flamengo-atletico-mg-empatam-na-abertura-do-brasileiro-21337347#ixzz4h5DaZR3V

De Futebol

roger-provoca-torcida-no-engenhao-apos-marcar-para-o-botafogo-contra-o-fla-1486939017481_615x300

Flamengo defeated Botafogo 2-1 to stay top dog and undefeated in Group B. Rubro Negro has 12 points. UOL:” O Flamengo voltou a sentir o gosto de vitória sobre o Botafogo. Após um jejum de mais de dois anos – último triunfo ocorrera em julho de 2014 –, o Rubro-negro venceu o Alvinegro por 2 a 1 neste domingo (12), no estádio Nilton Santos (Engenhão). De quebra, a equipe da Gávea ainda eliminou o rival da Taça Guanabara. Guerrero e Everton marcaram os gols que tiraram qualquer chance dos botafoguenses no primeiro turno do Campeonato Carioca; Roger descontou.

Com o resultado positivo, o Flamengo chegou aos 12 pontos e sacramentou a classificação para as semifinais do torneio. Já o Botafogo ficou estacionado nos quatro pontos, entrando apenas em campo no próximo domingo (19) apenas para cumprir tabela, contra o Boavista. Já o Rubro-negro pega o Madureira na mesma data.

Fla melhor no 1º tempo, mas Bota iguala

Com sua formação principal e diante de um adversário que optou por escalar um time reserva – de olho na Copa Libertadores –, o Flamengo mandava naturalmente no jogo. O primeiro tempo seguiu um roteiro claro: o Rubro-negro pressionava, enquanto o alvinegro se fechava e buscava surpreender em contra-ataques. Absoluto em campo, o time da Gávea demorou um pouco, mas se mostrou eficiente. Aos 35 minutos, Guerrero aproveita cruzamento de Diego vindo da esquerda e, com a coxa, toca para o fundo da rede: 1 x 0. Mas a tática do Botafogo também deu certo. E logo na sequência. Aos 39 minutos, Dudu Cearense aproveitou indefinição da zaga do Flamengo após o árbitro-auxiliar levantar a bandeira e cruzou para Roger (foto abaixo), que escorou para o fundo do gol: 1 x 1.

Precisando da vitória, o Botafogo lançou mais um titular para o campo: Bruno Silva. Com o volante em campo, o time passou a ficar mais com a bola e oferecer perigo ao rival. O Flamengo, por sua vez, se posicionou defensivamente e aceitou o avanço dos donos da casa. Frio e letal. Aos 20min, Everton aproveitou sobra na área do Alvinegro e recolocou o Rubro-negro na frente: 2 x 1.

Com a dianteira, o time da Gávea se fechou bem. O Botafogo pressionou e chegou a colocar duas bolas no travessão, mas não passou disso.

Decisivo, Everton se destaca

Evertou entrou em campo para disputar sua 200ª partida pelo Flamengo. E a marca não seria a única coisa especial no domingo. O meia se destacou e ainda garantiu a vitória rubro-negra. O meia comandou as ações ofensivas no primeiro tempo e mostrou bom posicionamento para marcar o seu gol, no segundo tempo

Arão, o perseguido de sempre.

Como de costume, o volante Willian Arão não foi bem tratado no Engenhão. A torcida do Botafogo, que ainda não digeriu a saída do jogador de General Severiano para a Gávea, xingava o mesmo a cada toque na bola. Já tinha sido assim em outros duelos entre os times, e até no jogo da seleção brasileira contra a Colômbia, em janeiro, quando Arão esteve em campo.

Não agradou: Rodrigo Lindoso

Ao contrário dos últimos jogos, esteve muito mal. Lento, perdeu boas oportunidades e ainda estava mostrou um pé “descalibrado” para passes e chutes

Este vídeo está indisponível no momento

Tiros e tensão antes do jogo

O pré-jogo foi extremamente movimentado no Engenhão. Não bastasse a solicitação do Botafogo à Federação para que a partida fosse adiada por uma suposta ausência de policiamento do lado de fora – Ferj e PM asseguravam efetivo normal –, a entrada do setor Norte serviu de palco para uma briga generalizada. Tiros foram ouvidos, ao menos três pessoas se feriram e outras tantas tiveram que se jogar no chão e se esconder em casas próximas para evitar o pior.

http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/estadual-do-rio/ultimas-noticias/2017/02/12/fla-vence-botafogo-encerra-jejum-e-elimina-rival-da-taca-gb.htm

De Futebol

diego-da-explicacoes-apos-o-empate-entre-flamengo-e-botafogo-por-0-a-0-1478384806637_300x420

Flamengo and Botofogo tied nil-nil. This cost Boo Mengao big time. The guys fell into third place with 63 points.

Palmerias defeated Internacional 1-0 to stay in first place with 70 points.

Santos leap frogged over Rubro-Negro with a 2-1 defeat of Ponte Preta.

UOL-O Flamengo corre risco de ficar mais distante da briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Neste sábado, o time rubro-negro parou na boa marcação do Botafogo e empatou por 0 a 0 no Estádio do Maracanã. Por isso o time alcançou os 63 pontos e até diminuiu a vantagem para o Palmeiras provisoriamente, mas o líder da competição ainda entrará em campo nesta rodada e, se vencer o Internacional no Allianz Parque, chegará aos 70 pontos e portanto abrirá sete de vantagem na ponta, faltando quatro rodadas para o final. Além disso, Santos e Atlético-MG ainda podem superar o Flamengo na tabela se vencerem suas partidas contra Ponte Preta

Desde o começo do 1º tempo, o Flamengo tomou mais iniciativa, controlou o jogo com um bom toque de bola, mas nem sempre com objetividade. Criou poucas chances de gol e falhou nas finalizações, então Sidão só teve que fazer uma defesa difícil. O Botafogo ficou recuado para esperar contra-ataques e conseguiu marcar bem, o que equilibrou o jogo, mas não encaixou boas jogadas na frente.

Esse cenário mudou no 2º tempo, quando o Botafogo teve chances de gol com Neilton – em apenas 10 segundos de bola rolando -, Pimpão e Camilo, mas nenhuma foi bem aproveitada. Nos minutos finais, a correria tomou conta do jogo, foram criadas chances de gol, mas ninguém mostrou eficiência na frente do gol.

jorge-lateral-esquerdo-do-flamengo-em-acao-no-empate-por-0-a-0-com-o-botafogo-1478470844512_615x300

Na próxima rodada o Flamengo, que completou quatro jogos seguidos sem vencer, vai enfrentar o América-MG fora de casa. Já o Botafogo, sem perder há sete partidas, enfrentará a Chapecoense em casa. Os dois jogos serão na quarta-feira, mas o time alvinegro entrará em campo às 19h30 (de Brasília), enquanto o rubro-negro atuará às 21h45.

Flamengo e Botafogo empataram todos clássicos que disputaram no ano. Os jogos anteriores terminaram 2 a 2 e 3 a 3.

Durante o 1º tempo, Diego participou das principais jogadas do Flamengo. Com apenas 1min, ele já arriscou um chute perigoso que foi para fora. Aos 19min, deu lindo passe por cima para Guerrero, que chutou de primeira, mas mandou a bola para longe. Aos 37min, surgiu a melhor oportunidade em um contra-ataque iniciado por Rafael Vaz após um belo drible em Airton. Diego recebeu a bola dentro da área, girou e chutou bem, mas Sidão defendeu em dois tempos. Aos 43min, o meia ainda acertou outro chute de longa distância que passou perto do gol. No começo do 2º tempo, ele cobrou uma falta perigosa, mas depois caiu de produção.

A dupla de pontas do Flamengo pouco produziu em campo e irritou a torcida no Maracanã com muitos erros em jogadas simples. Não foi à toa que ambos saíram substituídos no 2º tempo por Marcelo Cirino e Emerson Sheik.

O 1º tempo não foi bom para o Botafogo, mas pelo menos o time comemorou duas belas canetas: primeiro Airton colocou a bola entre as pernas de Fernandinho e depois Victor Luis fez o mesmo com Diego. Em compensação, aos 46min do 1º tempo, o lateral esquerdo do Flamengo, Jorge, deu dois chapéus seguidos em Camilo.

http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/brasileiro/serie-a/ultimas-noticias/2016/11/05/flamengo-x-botafogo.htm